polacodabarreirinha

Poesia, música, gracinhas e traquinagens

sábado, fevereiro 07, 2009




Tim-tim à beira do abismo

Vaga esta escuna, virgem verso
a não significar mais que o mastro.
Bem longe, afunda o ígneo astro,
sereias áureas rugem ao reverso.

Naveguemos, ó meus fraternos
Amigos! Eu, de vento em popa,
vocês, em festa, não dêem sopa
á onda que deriva dos infernos.

Minha loucura fala mais alto.
Sem medo do mar, tomo de assalto,
para fazer aos céus esta oferenda:

- Calmaria, recifes, constelações,
nada espero ao final da senda,
salvo o afã de nossos corações!


Mallarmé, por Thadeu W e Roberto Prado

1 Comentários:

Às 07 fevereiro, 2009 , Blogger Renato Quege disse...

Thadeu!

O Chacal escreveu perguntando:
'sera que vcs poderiam me dizer onde encontro escrito "O SOL CURA AS MÁGOAS, SECA AS CRISES, QUEBRA O GELO,ROMPE TUDO" ????

meu email mt-soldati@bol.com.br'

Eu: 'agora também quero saber!'

Até!!!!!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial