polacodabarreirinha

Poesia, música, gracinhas e traquinagens

segunda-feira, setembro 29, 2008



FANTASIA


E lá vou eu, de mão no bolso roto,

A linda blusa caindo aos pedaços.

Sob o céu, Musa! Ah...nossos amassos...

Uhlalá! Ao lembrar solto um arroto!


Em minha única calça um perdigoto.

— Pequeno Polegar eu sonho espaços

Sob a Ursa Maior, rimas em meus braços,

Som do céu em rumor de estrela envolto.


Sentado à beira do caminho ouvia

Nas noites de setembro a cotovia.

O orvalho no meu rosto como um vinho


E eu compondo em meio a espectros esparsos.

As cordas da lira eram meus cadarços,

Um pé de sapato ao meu peito juntinho!




Arthur Rimbaud





Livre adaptação de

Antonio Thadeu Wojciechowski



1 Comentários:

Às 29 setembro, 2008 , Anonymous Anônimo disse...

rsrsrsrsrsrsr, a imagem final do cara tocando o sapato é impagável.
Você está cada vez mais solto, sou fã e não nego.

Fabiano

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial