polacodabarreirinha

Poesia, música, gracinhas e traquinagens

sexta-feira, janeiro 09, 2009



café de sempre


é bom bebê-lo, café, o dia inteiro
no caneco de chope, incessantemente,
essa mania de ficar fraco e doente
é pra quem escreve de caneta tinteiro

na língua marrom se insinua
bálsamo enigmático elegido
néctar que me põe comovido
solene labirinto da sempre alma nua

lá pelas tantas no sorvedouro do sabor
ergue-se um altar onde docemente
o café é melhor que muita gente

minha vida vai moída com você no coador
e mesmo que nos pele a água fervente
um bule só não basta para tanto amor

(thadeu w e roberto prado)

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial