polacodabarreirinha

Poesia, música, gracinhas e traquinagens

sexta-feira, janeiro 30, 2009



Vida de Poeta


Até onde vou, todo mundo sabe,
vou ver se ainda estou na esquina
antes que essa poesia louca acabe
e eu já não saiba a que ela se destina.

O coração no peito rufa, bate,
escoiceia e vai ao encontro da rima,
como um cão que pra própria cauda late,
e dá voltas, e, em círculos, gira.

Talvez esse lirismo que me invade
e me leva a escrever linha após linha
seja só ego e o cúmulo da vaidade.

Pode ser também apenas a idade,
lindezas que o tempo na gente inspira
só depois de muita espera na fila!



Antonio Thadeu Wojciechowski

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial