polacodabarreirinha

Poesia, música, gracinhas e traquinagens

quinta-feira, março 12, 2009

Centurião, Thadeu e Roberto Prado, no lançamento do Tao, O Livro.



uma coisa qualquer

uma unha comprida
uma cutícula partida
uma meia furada
um cabo fora da tomada
um plenilúnio em plena luz do dia
não importa o que seja tudo pode ser poesia
porque a senha secreta
está no olho do poeta
que extrai do objeto
o seu apelo secreto
produzindo a imagem
que traduz em linguagem
o verbo impronunciável
que diz a verdade inconfessável
com tamanha leveza
que quase não se percebe o horror
debaixo da beleza


Alberto Centurião



a

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial