polacodabarreirinha

Poesia, música, gracinhas e traquinagens

segunda-feira, novembro 17, 2008




cinzas poéticas


minha poesia foi até esquina
pra ver se a rima
estava lá
e deu de cara com uma que fazia trotoir

a poesia é uma puta
que vai à luta
bebe teu sangue
e te abandona exangue

o poeta nasceu pra se foder
e não se doa se não doer
cada gemido no peito
é todo seu por direito

é uma conquista
terra à vista
arquipélagos inexplorados
cercados de palavras por todos os lados

o poeta é uma exceção
um corpo que é só coração
receptáculo de todas as dores
espetáculo de luzes e cores



thadeu w

2 Comentários:

Às 17 novembro, 2008 , Anonymous flavio scoretto disse...

putz que do caralho!

 
Às 17 novembro, 2008 , Anonymous Anônimo disse...

Muito bom mesmo! Grande abraço, Polaco.

Gerson Cunha

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial