polacodabarreirinha

Poesia, música, gracinhas e traquinagens

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Eu e Roberto Prado na noite do lançamento do TAO, O LIVRO.



imaginem se eu tivesse infância


não me venha cobrar pela agressão gratuita
ensinar que é bom, ninguém ensina
depois ficam falando por trás das minhas gracinhas
paródias, deboches, escárnios, sem o menor respeito
entendam de uma vez que esse é o meu jeito

nunca tive dinheiro para comprar um livro
os que roubei eram de um mau gosto incrível
todos diziam que eu não valia o sermão que ouvia
dicas, palpites, orientações, exemplos sadios
meus amigos eram todos uns vadios

saber ler e escrever pra mim já é muito
os bons se acham demais pra perder tempo comigo
pra chegar onde cheguei só eu sei o que engraxei
disso ninguém lembra na hora de exigir qualidade
meu escrito e escarrado é o retrato dessa realidade

subnutrido não aprende nada na escola
a dureza da vida foi minha tese de pós-graduação
quem não teve sapato pra jogar tem que entrar de sola
repetidor, inculto, kitsh, demodê, estilo indefinido
o que vocês tiram dos livros, eu tiro do ouvido

eu guardei na pele toda sorte de humilhações
hoje, quando me querem no picadeiro de letrados
vejo que eu estava até certo ponto errado
abraços, beijos, elogios: dêem pro coitado do porteiro
minha parte da glória eu quero em dinheiro


antonio thadeu wojciechowski e roberto prado


0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial