polacodabarreirinha

Poesia, música, gracinhas e traquinagens

segunda-feira, fevereiro 16, 2009


três poeminhas para balanço
a
a
1


ai que saudade da sardinha
tão enlatadinha
por que apertaram tanto assim a coitadinha?

estou sozinho neste barco sem rumo
não sei se fumo
ou se assopro a velinha


há muito tempo eu não saio do lugar
mas se foi assim que Cabral descobriu o Brasil
mesmo com toda essa calmaria
chegarei a tempo de abrir minha padaria




2


a poesia suspira aliviada
uma canção acaba de ser criada
sobe aos céus
mais uma alma penada




3



o meu carro passou a noite com o mecânico
em pânico, eu não sabia o que fazer
ele com as mãos peludas na rebimboca

da parafuseta do meu amor
quem esse sujo de graxa pensa que é?



Thadeu W e Édson de Vulcanis

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial