polacodabarreirinha

Poesia, música, gracinhas e traquinagens

sábado, fevereiro 21, 2009


Pra mim, qualquer dia para homenagear o Solda está ótimo. Posso começar, por exemplo, numa segunda-feira chuvosa e terminar num domingo de sol, daqueles de sair debaixo. Selecionei 12 de seus textos e declaro aberto o carnaval.
a
aaa
1.

estas palavras

estas palavras sobre mim você pierre menard arnold schwarznegger fantasmas escombros betinho grandes sertões
são petersburgo demi moore thelonius monk alan parker liberdade bhagavad-gita kundera privada sísifo bomba & brigite bardot estas palavras epitáfios poemas vida e morte al capone solidão sacco
& vanzetti hiroshima & nagasaki nova iorque si is leider auch flagelo frieza vômito insinuações bilhetes rostos assombrações paulo leminski roma itararé boris karloff marcos prado versos páginas
prosa & provérbios

estas palavras carregam a cólera a úlcera as vísceras a bosta
o tempo o espaço a virtude bob marley a estética platão a natureza o espírito o fogo mishima a água o adjetivo a fuga o vassalo
o súbito der geburstag stanislaw ponte preta artichewsky wojciechovski
o vazio & o saco cheio

estas palavras não pedem as palavras estúpidas traiçoeiras canto gregoriano mudas adágios parábolas fonemas signos cruzadas indiscretas vãs párias imundas promessas madonna definitivas pitorescas obscenas inconvenientes caladas verbais escritas
catatau & livro dos contrários

estas santas palavras pedem a palavra de hegel dos irmãos marx juan rulfo frank zappa ângela maria antonioni pablo neruda carlos estevão sadam husseim george bush capitão marvel penélope monteiro lobato bergson pelé mendigos punks padres arquitetos japoneses locutores paranistas aleijados jogadores
de futebol mágicos amantes cozinheiros comunistas viados santos pitonisas cachorros
pássaros & vice-versa

estas palavras não dão a palavra têm a palavra palavrório palavroso palavreado palavrão tufado logomáquico expressão bagaçada conversa parlenda lábia loquaz papo opinião jorge amado pachouchada enfático empolada charada
grammatiké & gramatiquice

estas palavras são cópias de outras palavras de outras palavras
de corbiére e foram minhas últimas palavras
não necessariamente nesta ordem

aa
2.


poesia no varal
lençol
tomando sol




3.


quero meu boné
cansei de ser joão
vou ser josé




4.


faço tuas as minhas palavras
mas vê se devolve logo
porque vou precisar delas



a
5.

adeus, mundo cruel,
vou embora
no meu barquinho de papel

a
6.


suicídio brutal!
o morto
vai perder o carnaval

a
7.

a
vejam a vida
passando pela esquina:
vejam como às vezes
ela é sovina
e de vez em quando
aceita propina



8.
a
hoje a vida
amanheceu
sem sentido
assim não sei como
aos pedaços
em gomos
sem frutos
no meu cinamomo
sem eros
sem baco
sem momo
sem ninguém
pra chamar
o mordomo

a
9.

o maestro alucinado
não ouviu
a previsão do tempo
o tempo
não estava ao seu lado
tomou a clave de sol
e fez o concerto
chover no molhado



a
10.

a
tudo o que sobrou
de mim foram escombros
assim mesmo vou pelo mundo
carregando
o mundo nos ombros


a
11.
a
a dor extrema
é apenas e simplesmente
a dor
a dor que dói aqui
a dor que dói ali
dói no vácuo
dói no elevador

ninguém dói
mais que a dor
a dor é dolorida
sem nenhum pudor
está doendo?
é ela
a dor

dói saber
doer
única função da dor
eu tenho
uma no peito
com licença
por favor

a
12.

a
um dia desses eu vou me misturar
ao povo que está na ruas
e finalmente vou descobrir pra onde
todo mundo vai
para onde vão as velhinhas com
pacotes debaixo do braço?
para onde vão as senhoras gordas
de cabelo encaracolado?
pra quê lado?
vou descobrir para onde vai a menina
com o uniforme colegial
para onde vai o senhor grisalho
com as mãos no bolso
para onde foi o negro elegante
que estava aqui há pouco
para onde foi o menino de boné vermelho
para onde foi o vendedor de bilhetes
que sempre está gritando
vaca galo cabra burro borboleta
um dia desses eu descubro pra onde
vai a gorda que acabou de entrar num táxi
dia desses eu descubro para
onde foi aquele tocador de gaita
de boca e aquela limpadora
de rua e aquela moça do estar
e aquele sorveteiro e aquela loira
com um disco do chet baker e aquele cara
parecido com o rodrigão
e aquele senhor de guarda-chuva e aquela
moça chupando sorvete e aquele
gordo desesperado e aquele médico
que escorregou na calçada e aquele
guarda que estava na esquina
e as três meninas que olhavam
a vitrine da sapataria e a velhinha
de sombrinha verde
que tentava atravessar a rua
dia desses eu descubro
pra onde é que vão todas essas pessoas
que atravessam a rua
sem olhar para os lados



Solda


quer mais? clic aqui.
a

4 Comentários:

Às 22 fevereiro, 2009 , Anonymous dalton cunha disse...

Esse merece tudo de bom na vida!

Dalton

 
Às 24 fevereiro, 2009 , Blogger Fabiano Marques disse...

A matemática da arte.
Centenas de palavras em uma dúzia do que mesmo?
Esse é o X da questão.
abraço polaco

 
Às 25 fevereiro, 2009 , Blogger polacodabarreirinha disse...

Grande abraço, Fabiano. Precisa sair aí de Floripa e dar uma passada na terrinha aqui para matar saudades.

 
Às 25 fevereiro, 2009 , Blogger Fabiano Marques disse...

Nem me fale!
Quando vi o post sobre a comemoração do aniversário do Dalton no Distinto, o fígado e o coração reclamaram.
Um bateu no peito e o outro deu pancreadas no abdômen.
Deu saudades da terrinha. Saudade pacaraio.
Tem uma história no meu blog. Passa lá.
Abrasssss

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial