polacodabarreirinha

Poesia, música, gracinhas e traquinagens

terça-feira, setembro 30, 2008


E, então, o que você quer?

Fiz tremer as colunas do jornal
abrindo olhos nas manchetes à mão cheia.
E logo, num piscar de cílios,
de cada fronteira, de cada local,
explodiu um barril de pólvora que ricocheteia
em meio à casa e seus utensílios.


Neste último ano
nada de novo houve
no rugir do trovão
que está no ar.

Não estou alegre, mas meu plano
pelo que eu soube
ninguém irá julgar...

Mas também por que razão
eu haveria de estar triste?
O mar da história
é agitado.
A ameaça existe
e a guerra, a ilusão da vitória
são coisas do passado.

Está lançada a minha sorte !
Perscruto outras sondas
mas é ainda minha quilha que aprofunda o corte
sobre as ondas.



Vladimir Maiakóvski


Livre adaptação de Comedor de Ranho




0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial