polacodabarreirinha

Poesia, música, gracinhas e traquinagens

quinta-feira, março 05, 2009





Saboro Nossuco é mesmo uma bola. Nada mais agradável do que passar algumas horas ao seu lado e ouvi-lo contar koans, parábolas, basófias e, por que não?, levar alguns enxovalhos e umas belas rimadas na fuça. Saboro fala pouco, mas diz muito. Mas, como diz o Solda, depois da terceira dose torna-se um animal insuportável. De qualquer forma, ouvi-lo é sempre melhor do que nada. Mas isso não tem importância.

Polaco da Barreirinha



1.

Mestre Wu Yei tinha 106 anos quando caiu no leito e não levantou mais, até o dia de sua morte. Mas foi durante sua doença que revelou toda a sua sabedoria, delicadeza e bom humor para os amigos e toda a soda cáustica de sua saliva para os que o consideravam um mestre menor. Uma certa tarde de primavera, mestre Wu pediu aos seus discípulos:
- Ponham minha cama do lado de fora da cabana pois quero aproveitar o sol, ouvir os pássaros, o vento a dedilhar as árvores, a água a impor sua passagem pelas pedras e ver as nuvens projetando desenhos animados na tela da imaginação.
Ninguém entendeu absolutamente nada, pois todos sabiam que mestre Wu, pouco ouvia e há anos tinha perdido a visão, mas o atenderam.
- Aqui está bom, mestre?
- Um pouco mais à esquerda, para aumentar meu raio de visão.
- Aqui?
- Perfeito, não só posso ver melhor como também ouço e sinto perfeitamente.
- Que bom, mestre!
O pequeno grupo, feliz, senta-se aos pés de mestre Wu e, em silêncio, acompanham suas reações e palavras.
O vento, sem perder tempo, em suaves rajadas, refresca o velho sábio. Pássaros pousam nas árvores próximas e dedicam-lhe os mais ternos cantos. As nuvens inquietas dão feição às mais tresloucadas formas e as águas a rolar parecem acompanhar a melodia da tarde. Mestre Wu, sentindo-se forte e rejuvenescido, começou a repartir com todos suas sensações:
- Quando sou árvore, sinto pudores no outono.
- ...?
- Quando sou água, não sinto fome.
- ...??
- Quando sou vento, minha alma passarinha.
- ...!
- Quando sou pedra, fico com a cabeça nas nuvens.
- ...!!
- Quando sou eu mesmo, sou um pouco de cada um de vocês.
- ...???
- Quando sou mestre, ensino que nada sei.
- ...!!!
- Quando sou realidade, olho pra mim e vejo um velho cego, quase surdo e à beira da morte.
- E quando és sonho, Mestre? Sonhas que és jovem? Perguntam os cinco em uníssono e em dúvida profunda.
- Quando sonho, peço para colocarem minha cama do lado de fora da cabana pois quero aproveitar o sol, ouvir os pássaros, o vento a dedilhar as árvores, a água a impor sua passagem pelas pedras, ver as nuvens projetando desenhos animados na tela da imaginação.
E sentir pessoas felizes ao meu lado.

Saboro Nossuco



2.

- Mestre, estou muito aflito.
- Que ótimo.
- ...?
- A aflição existe mesmo.
- Estás a zombar de mim, Mestre?
- Seria ótimo.
- ...?
- A zombaria existe mesmo.
- Mas, Mestre, estou em total desespero.
- Mais ou menos bom.
- Mais ou menos?
- O desespero existe mesmo, mas o total não.
- Não menospreze o sentimento dos outros, Mestre.
- Eu não poderia fazê-lo nem que quisesse.
- Mas não me escutas.
- Eu não poderia deixar de fazê-lo nem que quisesse.
- Estás vendo? Brincas comigo.
- A brincadeira existe mesmo.
- Deve ser fácil viver assim, só fazendo troça da desgraça alheia.
- É muito difícil.
- Como assim?
- Ah, você não ia entender nunca, nunca!
- ??
- Assim está bem melhor.

Saboro Nossuco



3.


Ho Lin, desde que nasceu, assombrou a todos pelas aptidões físicas, intelectuais, bom humor e gentileza. Todos que acompanharam sua infância e juventude previam para ele um grandioso futuro. Tornou-se samurai e atingiu a excelência máxima nos manejos de armas, argumentos e técnicas de luta corporal. Mas não só isso: era também dotado de profundo talento nas artes da caligrafia, do chá e do convívio. Rapidamente, ficou famoso em todo o Japão e tornou-se o número 1 do Imperador. Mas quis o destino que, no dia seguinte à cerimônia no palácio, Ho Lin pensasse no significado do céu e do inferno. Atirou-se sobre os livros, sobre os mestres, com sofreguidão insaciável. Quanto mais se aprofundava, mais se deprimia e desesperava. Começou a beber, a freqüentar prostíbulos e, em pouco tempo, havia se transformado num farrapo humano. Certa manhã um de seus mestres na juventude o encontrou dormindo na sarjeta, barbudo, sujo, todo mijado e cagado. Apiedou-se e o levou à sua casa, onde os criados providenciaram banho, corte do cabelo e da barba, uma belíssima espada nova, roupas limpas e cheirosas.
- O que aconteceu, Ho Lin? Tenho ouvido as mais escabrosas histórias a seu respeito.
- Mestre Wu Huen, desde que me veio à cabeça a dúvida sobre o significado de céu e inferno, minha vida perdeu o sentido.
- Só isso?
- Só.
- ...!
- Diga-me então, Mestre Wu, por favor.
- Ah, eu não vou dizer o que é céu e inferno pra um filha de uma puta, um porco degenerado, lazarento como você!
Ho Lin, ouvindo aquilo, reuniu todas as forças de sua alma, todo o seu orgulho, todos os treinamentos de seu corpo, toda a indignação de seu coração, puxou a espada e apto à decapitação do mestre, com a espada no alto a caminho, ouve a voz do Mestre:
- Isso é o inferno.
Ho Lin detém a trajetória certeira da espada e, em prantos, se ajoelha diante do Mestre, que o abençoa:.
- Este é o céu, Ho Lin.

Saboro Nossuco


4.

- O fim do mundo está próximo, Mestre.
- Mais ou menos.
- Isso é pouco ou é muito?
- Depende.
- Da maneira como tratamos o planeta?
- Também.
- O que deveríamos fazer para que não chegasse ao fim.
- Ano que vem, vamos conversar mais sobre isso.

Saboro Nossuco


11 Comentários:

Às 05 março, 2009 , Anonymous arthur fialho netto disse...

Polaco, vc está ficando insuportável. Porra, cara, que textos maravilhosos! Estou estupefato. Depois das novelhas, o Dalton Machado Rodrigues e agora esse tal de Saboro Nossuco que coisa! De onde vc tira tudo isso? Dá uma dica, meu.

 
Às 05 março, 2009 , Anonymous Anônimo disse...

O primeiro foi de arrepiar! Puta que os pariu! Genial mesmo!
Textos Saborosos!
Abraço
Gafanhoto

 
Às 05 março, 2009 , Anonymous Anônimo disse...

É de tirar o chapéu mesmo.

Beto

 
Às 05 março, 2009 , Anonymous farpas angelicais disse...

Genialíssimo!!!!!!!!
Estamos de volta.

Abração.

 
Às 05 março, 2009 , Anonymous Anônimo disse...

Saboro Nossuco para presidente!

Kleyton

 
Às 05 março, 2009 , Anonymous leila amaral disse...

Nem sei o que dizer, Thadeu.

Bj

 
Às 05 março, 2009 , Anonymous Anônimo disse...

Londrina encontra oxigênio aqui.

Ab, meu caro

Neimar

 
Às 05 março, 2009 , Blogger polacodabarreirinha disse...

Nada, Arthur, como disse o Leminski: nadei nadei e não dei em nada

Ab

 
Às 05 março, 2009 , Blogger polacodabarreirinha disse...

Grande abraço, Neimar e venha passar uns dias cá na terrinha.

 
Às 05 março, 2009 , Anonymous todo mundo disse...

Cada vez melhor, Polaco.

 
Às 05 março, 2009 , Anonymous nelson frömmer disse...

Yes yes e yes de novo.

PS: Triste porque querem tirar o trema do meu sobrenome

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial